Ficha Jackal de Balron

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha Jackal de Balron

Mensagem por Jackal de Balron em Qua Abr 08, 2015 2:24 pm


Personagem

Nome: Louis Augusto Dechamps (Jackal)
Idade: 20
Sexo: Masculino.
Signo: Gêmeos.
Veste: Surplice de Balron Estrela Celeste da  Eminencia.



Aparência:

Mesmo após a morte, Jackal conserva uma aparência bela e jovial, com algumas mudanças gritantes em relação sua aparência em vida. Homem de estatura mediana, tendo aproximadamente um metro e setenta e nove centímetros, pesando entre setenta e dois à setenta e quatro quilo gramas. Tal peso é distribuído uniformemente em músculos definidos, tal padrão de corpo já fora adquirido em vida por ser um esportista nato. Seus longos cabelos acinzentados completam sua beleza facial junto de sua pele e extremamente clara, gozando de um belíssimo par de olhos verdes, tal conjunto possui um tom degradê que ressalta ainda mais sua beleza. Com relação à sua aparência em vida, um fato curioso fora a mudança de coloração de seus olhos, cabelos e pele, pois seus olhos e cabelos eram castanho claro e sua pele era de colocação mesclada, um tom de moreno levemente claro.
Fora os aspectos físicos, o espectro normalmente se mantém um homem de presença, trajando frequentemente uma túnica escura com bordados de folhas douradas em suas extremidades com fundo de tom similar a cor de vinho tinto. Este manto é usando por cima de sua surplice, que por si mesmo esta sempre trajando-a.


Surplice de Balron:
Esquema da Surplice de Balron:

Psicológico:

Homem de personalidade serena, que raramente encontra-se fora de si mesmo, com pensamentos e ações friamente calculados; Jackal tende a ser um dos mais sensatos dentre os cento e oito espectros, de maneira peculiar o espectro é dificilmente tirado do sério mantendo sempre uma postura admirável diante todos. Admirador do silêncio, fortes barulhos e ruídos tendem a deixa-lo desconfortável, em situações que não pode controlar tamanha perturbação de maneira educada ou presencial, o espectro se retira do recinto de forma discreta, sem causar tumultuo e sem dizer nenhuma palavra. Jackal em seu cotidiano não tende a ser falastrão, dialogando somente quando necessário expor seus pontos de vista e opiniões. Evita manter contato com quem julga não ser decente ou não possuir o mesmo nível, característica alterada em batalhas onde usa o diálogo para distrair e coletar informações de seus adversários.

Diversas coisas lhe desagradam, dentre elas há que mais se destaca é falta de respeito para com seu Imperador, mesmo usufruindo de uma personalidade tranquila afrontas contra seu Imperador lhe deixam extremamente furioso, pois mesmo que muitos digam que Hades seja um Deus maléfico, para Jackal o Imperador do mundo dos Mortos fora um ser bondoso que lhe ofertou uma nova vida, talvez seja esta uma das únicas coisas que consiga perturbar sua sensatez. Em termos de batalha o espectro tende a resolver seus problemas de maneira rápida e sutil, sem perder tempo com torturas que em seu ponto de vista é desnecessário, já que toda alma é destinada a sofrer eternamente nas prisões do mundo dos mortos.

Extremamente legal ao Imperador do mundo dos mortos, sua lealdade não pode ser comparada à de nenhum espectro quais quer que seja, já que cada um possui um motivo diferente para adora-lo. Ganancioso, em termos de poder o jovem Celeste tende a ser extremamente ganancioso sempre indo em busca de mais poder para satisfazer seus desejos e poder lhe ser mais útil para seu Imperador. Sendo extremamente rígido em diversos assuntos, Jackal detesta fracassar, sempre dando o melhor de si em tudo que faz.


Habilidades e Particularidades:



História:

Existem aqueles que nascem predestinados a fazer algo grande, existem os que acreditam nisso e também existem os que morrem para fazer algo. Há quem diga que só os melhores fazem diferença, em tese sim, a “vida” se é que posso chama-la assim, me mostrou que a mais simples pessoa pode fazer a máxima diferença.
Aqui estou eu, que fui um qualquer em vida julgando pessoas após a morte no meu tempo vago...

Vinte anos atrás.

França, mais precisamente a belíssima Paris, uma das cidades mais apaixonantes existentes; Sua história, seu clima, sua cultura atraem jovens apaixonados para viverem diversos momentos amorosos por seus becos, ruas, pontos turísticos e etc... Este era o cenário em que um dos servos mais fieis do Imperador do mundo dos mortos, começara sua jornada.

Nascido de parto normal e esbanjando muita saúde, Louis Augusto Dechamps , era mais um jovem recém-nascido de família classe média alta que vivia no centro da capital francesa. Infância... Esta tivera sido de excelente à perfeita, desde que aprendeu a andar Loius sempre que pode praticou esportes, por tal motivo desde cedo o jovem sonhava em ser um esportista. Logo aos quatro anos o jovem começou a frequentar a escola primária para crianças, tendo um ensino reforçado aos cinco anos já começara ler fluentemente. Fora na escola primária que Louis ganhou o apelido de Jackal, motivo para isso creio que não exista nenhum até porque “Jackal” refere-se a Chacal um animal muito diferente do garoto, porém contudo todavia o menino se agradou do apelido e o fixou como codinome.

Jamais foi um garoto extremamente popular, era conhecido por fazer parte do time de esportes de inverno onde se apaixonou pelo Alpinismo. Jovem de notas exemplares, extremamente sábio com uma paixão intensa por livros históricos, científicos, românticos e dentre outros. Ler sempre foi um dos seus robes prediletos, quando não estava praticando algo ou com os amigos, estava lendo.
Naturalmente a vida de todo ser humano começa a complicar quando se passa da infância para à adolescência, com Louis não fora diferente. No inicio de sua adolescência ele começou a ter seus primeiros casos amorosos, junto dos pensamentos para o futuro. Seu sonho era escalar os Alpes mais altos do mundo, não era algo muito significativo para muitos, porém para ele era o bastante para sorrir durante anos. Seu habito de ler e de falar eram peças chaves para cursar Direito na universidade, após concluir seu ensino fundamental e médio uma nova etapa começava. Jackal desde pequeno era muito inteligente, além de estudioso, adentrar uma faculdade não seria uma tarefa extremamente difícil. Logo aos seus dezoito anos já cursava o primeiro ano de Direito, era o orgulho para sua família, filho único e com um grande futuro à frente sua vida estava de certo modo perfeita. Durante o primeiro ano de universidade Louis conheceu diversas pessoas, algumas delas fariam grandes diferenças em sua vida.

Louis conheceu uma jovem chamada Juvia na universidade, esta cursava o mesmo curso que ele, com decorrer do tempo eles foram se aproximando e se apaixonando. Um grande amor nascera dentre eles, devido a seus gostos e e robes eles se viam frequentemente onde em pouco tempo começaram a namorar, de fato era um lindo relacionamento. Ambos tinham costume de praticar alpinismo, após começarem a se relacionar começaram a praticar o esporte juntos com uma equipe especializada. Durante as férias Louis e Juvia junto de uma equipe foram escalar os Alpes franceses, a escalação até o topo levaria alguns dias por causa das condições climáticas.
Tudo ocorrera como de costume durante a subida na montanha, porém desta vez um pequeno erro no equipamento causaria uma terrível tragédia. Enquanto escalava a montanha tranquilamente junto dos demais, um dos cabos que segurava Louis no equipamento escapava fazendo-o cair de uma altura aproximadamente mil e cinquenta metros, o jovem com o susto ao se desprender e começar a cair de tamanha altitude sofria em instante uma parada cardiorrespiratória morrendo em seguida, o corpo era estraçalhado ao se encontrar com o chão em grande velocidade. Assim morria inesperadamente um jovem, porém algum tempo depois este recobrava a consciência estando um tanto atordoado. - Eu morri... 


...

Enquanto recobrava sua consciência lentamente, Jackal seguia um caminho único para onde diversas "pessoas" seguiam juntas em fila indiana. Inconscientemente todos ali seguiam para um buraco florescente que ficava no topo da colina, mesmo recobrando boa parte de sua consciência ele não podia mover nenhum centímetro de seu corpo por vontade própria, seu cosmo estava "congelado" para ele, mas seguia inconscientemente para o topo da colina. Enquanto tentava se mover e trocar a direção do caminho, o jovem se perdia em seus próprios pensamentos que se conturbavam entre si lhe deixando quase louco em instantes. Muito tempo após ter recobrado sua consciência tivera se passado, de tanto pesar e tentar entender em sua mente ele estava louco, porém estava remodelando sua cabeça enquanto percebia o que aquilo significava, ao chegar no topo da colina seu corpo se jogava em direção a um buraco imenso, tudo rapidamente ficava escuro, uma montanhas de flashbacks começavam a passar em sua cabeça. - Então estes são os defuntinhos de hoje, vamos entrem logo aproveitem sua única passeata pelo Rio Aqueronte! - Exclamou o homem desconhecido que surgia dentre a densa névoa daquele rio poluído. A voz do homem não lhe tirava sua concentração, porém ele a escutava com clareza e seguia junto de alguns mortos para dentro da barcaça. Durante a lenta viagem todos os momentos de sua vida passavam diante dos seus olhos, todos seus momentos bons e ruins, desde seu nascimento até sua morte. Todas as imagens passavam rapidamente assim como sua vida, injusto ? Certamente sim, porém não escrevemos nosso destino. Rever todos os momentos de sua vida, e perceber que tudo se passou tão depressa começaram a mudar os pensamentos do jovem que conscientemente ainda estava vivo.

Jackal não era o mesmo homem que tivera embarcado do outro lado do rio, mentalmente este era um novo ser um homem cujo sentimentos tivera sido despedaçados pela morte. Seguindo junto dos de mais mortos todos entravam em uma construção grega, em exato silêncio todos adentravam o recinto se posicionando um ao lado do outro. No topo de uma escadaria se encontrava uma bancada com um livro imenso, por trás dele se encontrava um dos três Juízes do inferno. O kyoto julgava as almas em sequencia da esquerda para a direita, nesta ordem Jackal era o sexto. Em sua vez a atitude do juiz fora diferente pois recitar uma espécie de mensagem. - Você é a alma que Pandora disse para mandar a Giuddeca, se for mais um desses quais quer espere um sofrimento além se sua compreensão... - Então o Juiz em um simples movimento de sua mão enviou o corpo do jovem para um local distante, um dos locais mais profundos do inferno. De joelhos e cabeça baixa surgiu em um salão escuro, o ar congelante que circulava no local terminava de congelar seu corpo morto. No fundo do salão havia uma imensa escadaria em seguida uma cortina de seda quase transparente, por trás desta havia um trono majestoso e, nele estava sentado o Imperador do mundo dos mortos, Hades.

- Louis Augusto Dechamps, ou melhor Jackal como você prefere ser chamado. - Uma voz doce ecoou por todo salão, por de trás da cortina de seda surgiu uma mulher trajando um vestido negro, e um tridente em sua destra. A belíssima jovem caminhou até o homem onde ficou parada na frente do mesmo, com seu tridente esta ergueu a cabeça dele e o fez olhar na direção do Imperador do mundo dos mortos. - Esta vendo aquele Deus lá em cima ? Ele esta lhe oferecendo uma segunda oportunidade, sua vida fora muito curta, o que você pode fazer em apenas duas décadas ? Meu amado Imperador esta lhe ofertando de bom grado vida eterna após a morte, só basta você servi-lo eternamente como uma das cento e oito estrelas malignas, que lutam em nome de nosso Imperador. Um preço justo por salva-lo do intenso sofrimento eterno que o inferno guarda para todas as almas. - No topo da escadaria, os olhos do deus brilhavam em uma tonalidade rubra fazendo com que seu cosmo divino cobrisse o jovem, no mesmo instante que visou o cosmo do deus sua pele voltara a esquentar, seu sangue voltava a correr e seu coração a pulsar. Era um milagre ele estava vivo, percebendo que a mulher dissera a verdade ele decidira ser devoto ao deus que lhe propiciou uma nova chance.

- Meu Imperador, a partir deste momento vivo apenas para servi-lo!
- Pausou. -Eternamente! - Concluiu exclamando, logo direcionando um olhar sério ao mesmo tempo sereno para a mulher. - Você, quem seria você ? Me diga em que posso ser útil ao nosso Imperador. - A mulher após ouvir as palavras do jovem apontava a ponta do seu tridente para o ar, a partir de um brilho púrpura uma sapuris surgia. -Esta é a surplice Celeste de Balron, da Estrela Celeste da Eminência. Seja bem-vindo ao exército do submundo, guardião de Venus. Jackal de Balron! - A veste logo se desmontava se encaixando ao jovem. - Você pertence ao esquadrão do Kyoto de Griffon, o espectro de Balron na ausência do Griffon fica na primeira prisão julgando as almas que vão chegando, no lugar do Juiz. Acredito que Griffon tenha algo para fazer, se encarregue de tomar conta da primeira prisão jovem espectro. - Trajando sua surplice o espectro saldava seu imperador e a jovem ali presente logo se retirando da Giuddeca.




avatar
Jackal de Balron
Espectro Celeste

Gémeos Mensagens : 28
Data de inscrição : 24/03/2015
Idade : 26

Dados do Saint
Cosmo:
1000/1000  (1000/1000)
HP:
1000/1000  (1000/1000)
Nível: 1

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha Jackal de Balron

Mensagem por ADM Daënna em Dom Abr 12, 2015 4:00 pm

AVALIAÇÃO


Aparência - Bem descrita não vi muitos erros e é de fácil compreensão.

Psíquico - O mesmo de cima. 

História - Não vi muitos erros em breve ela seja um tanto resumida, não fez perder sentido ou algo do tipo fazendo com que me incomodasse. 

DADO TOTAL : Aprovado, e att. 

_________________
Garnet Scarlett, aquatic strategist 
avatar
ADM Daënna
Admin

Aquário Mensagens : 158
Data de inscrição : 25/03/2015
Idade : 17

Dados do Saint
Cosmo:
100/100  (100/100)
HP:
100/100  (100/100)
Nível: 2

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum