[FICHA DE ADMISSÃO] Dagon de Morcego

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FICHA DE ADMISSÃO] Dagon de Morcego

Mensagem por Dagon de Morcego em Ter Mar 31, 2015 1:24 pm


Espectro Terrestre da Inspeção - Dagon de Morcego

Nome: Dagon Smith
Idade: 1202, porem mantêm a aparência de quando faleceu, tendo então aparência de 22 anos.
Sexo: Masculino
Signo: Aquário
Veste: Surplice de Morcego Estrela Terrestre da Inspeção


Aparência: Dagon é um caucasiano comum e um escocês verdadeiro, pele bem clara, muito clara mesmo. Cabelos longos e trançados, de coloração castanho-avermelhado. Seus olhos também são claros, porem seu olho esquerdo tem uma cicatriz de batalha. Seu rosto é um rosto quadrado, comum de guerreiros medievais. Seus lábios são finos e em tons avermelhados naturalmente. Seus caninos são um poucos maiores e mais afiados que o normal. Suas orelhas são diferenciadas, bem colados no rosto e pontudas, semelhantes a de Elfos ou Sátiros. Seu corpo é bastante modelado, por causa dos treinamentos de batalha. Tem uma barba mediana de cor semelhante ao cabelo.




Psicológico: Dagon tem uma mente muito perturbada, sendo bastante cruel e sádico o tempo todo. Dagon possui uma característica muito forte de teimosia, sendo assim costuma ser bastante infantil com relação as opiniões alheias, alem de quase nunca obedecer aos superiores. Dagon tem um mau hábito de ser sempre irônico e de desdenhar de seus oponentes. Dagon odeia barulhos altos e pessoas que são escandalosas. Dagon possui uma fascinação por flores e por plantas dos mais variados tipos. Dagon ama o som do Alaúde, sempre se acalmando quando ouve tal som.



Habilidades e Particularidades:

Nome : Regeneração Lendária
Descrição : Desde de os primórdios dos homens histórias sobre criaturas que espreitam durante a noite são contadas, uma delas é a histórias dos Vampiros, tal história diz que tais criaturas são imortais, pois bebem do sangue de outras pessoas, a armadura de Morcego segue a risca tão história. A Surplice de morcego possui uma particularidade poderosa, algo que a torna única, tal armadura é capaz de se regenerar com sangue de inimigos, se alimentando do sangue dos mesmos. Quando uma porção de Sangue é derramada sobre alguma parte danificada da armadura a mesma se regenera em instantes, tal habilidade é passada para o usuário enquanto estiver a utilizando. Dagon é capaz de regenerar pequenos cortes e pequenas perfurações enquanto estiver utilizando a armadura. A quantidade de Life Points restaurados pela armadura é a metade da quantidade sugada por tal.

História:

10 de Fevereiro de 813 - Fazenda dos Smith's, Escócia.

Era uma extensa área rural, algumas poucas casas, grandes partes de plantação espalhadas. Ao olhar com cuidado, podia observar que no meio daquela imensidão rural estava um homem com uma enxada e um carro de boi ao lado, e andando junto dele havia uma pequena criança, talvez com uns 10 anos de idade, a criança ajudava o homem com os afazeres do campo. Ao longo, na junto do Sol com a terra assisti-se um grupo de homens vindo em cavalos, tais homens possuem um semblante de felicidade e suas vestes se assemelham a de homens comuns daquela terra que é considerada o quintal dos bastardos ingleses, em pouco tempo os homens à cavalo chegam até o homem e a criança que trabalham arduamente naquela grande plantação.

_ O senhor se chama, Ulfric Smith? perguntou um dos homens a cavalo.

_ Sim, sou eu. respondeu friamente o homem do campo.

_ Trazemos boas notícias da cidade. Falou outro homem que estava a cavalo.

_ Pois bem... Falem o que desejam. disse o camponês ainda olhando ao chão.

_ Sua esposa entrou em trabalho de parto, logo você terá seu segundo filho. Falou um dos homens.

Um grande sorriso brotou nos rosto de todos os homens, naquele dia acabava de nascer mais um escocês, era um momento de alegria e felicidade. Rapidamente os homens à cavalo ajudaram Ulfric a subir em um dos cavalos que não havia dono, um cavalo que havia sido trago especialmente para ele. Em pouco tempo via-se aquele monte de homens montados correndo em direção ao horizonte, aquela dia era um dia especial. Após longos e infinitos torturantes minutos de cavalgada os homens chegam a uma casa modesta. Ao entrarem porta a dentro havia ali várias mulheres em volta da parteira e da mulher que havia tido o filho, porem, estava tudo muito estranho... As pessoas tinham um semblante triste, em vez de um semblante feliz.

_ O que aconteceu? Perguntou Ulfric com os olhos lacrimejando.

_ Ela... E... Ela não resistiu. Disse a parteira sem muito rodeio.

_ Não... Não pode ser... Onde está meu filho! exclamava Ulfric, enquanto rios de lágrimas cruzavam seu rosto.

A parteira o pegou pela mão e o carregou até um quarto separado, ali havia uma criança enrolada no pano. A criança dormia calmamente, sem saber o que acontecia. Ulfric pegou aquele pequeno ser nos braços e o aproximou de seu peito, dando um beijo na testa da criança, soltou um longo gemido de dor.

_ Tu seras chamado de Dagon, por quê na dor de sua mãe fostes concebido. Proferiu Ulfric, enquanto beijava a testa da criança novamente.

Um dia e meio havia se passado, o dia estava frio e chuvoso. Havia muitas pessoas em volta de um grande monte, bem no alto do monte havia um padre que fazia um sermão em latim, provavelmente pedindo paz a alma da falecida, o viúvo trazia em seus braços seu filho mais novo e ao seu lado seu filho mais velho. Ao terminar o sermão um grupo de homens com flautas, gaitas e alaúdes, começaram a tocar as músicas de seus antepassados, começaram a tocar ritos para que os deuses abençoassem a falecida, para que a levem-na em paz ao paraíso.  

20 de Junho de 828 - Academia de Soldados, Inglaterra.

Faz dois anos que Ulfric Smith e William Smith faleceram, deixando o jovem Dagon sozinho. Ambos faleceram em combate contras as forças inglesas. Dagon mora à dois anos com seu tio, Jhon Smith. Jhon Smith é um renomado cavaleiro das forças Inglesas. Desde de que Dagon foi morar com seu tio, ele fora treinado a se tornar um cavaleiro. Dagon durante dois anos fora treinado arduamente no combate de espadas, e em cavalaria. Neste dia, Dagon esta na fila para a admissão na escola de generais do exercito inglês. Eis que um Rei da Inglaterra entra na sala aonde o grupo de jovens está prostrado, junto do Rei a o Chefe das forças armadas do exército inglês.

_ Todos os jovens deem um passo a frente! Ordenou o Chefe com uma grande carranca.

Todos os rapazes deram um passo a frente, Dagon fez o mesmo junto dos outros. Então o chefe da guarda pessoal do Rei, começou a caminhar em volta dos jovens e os começou a analisar. Naquele dia os jovens seriam convocados aos serviços da corte. Assim, começaram a chamar nomes por nome, pra cada nome designavam um serviço da corte. Com o passar dos tempos os números diminuíam e Dagon ainda não havia sido chamado, logo o jovem começou a ficar nervoso e a suar frio, será que ele não seria bom o bastante para ser aprendiz de nenhum ofício? Dagon era ótimo no manejo do arco, sábia Inglês,Celta e Latim, ele tinha confiança em que seria escolhido para algo, não importava o que seria.

_ Dagon Smith. Falou o homem da carranca.

O jovem Dagon deu um passo a frente, assim que o menino parou o homem começou a avalia-lo como se avalia-se um cavalo ou algo assim. O alto cavaleiro do Rei, começou a passar a mão sobre o corpo do jovem, sobre seus cabelos e emitir grunhidos, ele parecia pensar.

_ Sir Dagon Smith... Recruta do Exercito. Falou o carrancudo.

O jovem Dagon soltou um longo suspiro de alivio, e logo depois todos foram dispensados. Dagon foi-se até o memorial de seu tio, e então se despediu. No dia seguinte Dagon seria mandado até a França, ele estaria entre os soldados de uma guerra sem sentido, de uma guerra que só servia pra satisfazer o ego do Rei.

21 de Junho de 835 - Campo de Batalha, França.

Ao horizonte se vê uma grande colina tomada por exércitos que levam a bandeira da Inglaterra, no lado oposto um exército tão grandioso quanto, mas com a bandeira da frança. Uma batalha estava prestes a acontecer, em cima de um cavalo negro, está o jovem Dagon, hoje um grande comandante das forças inglesas. Ao longo destes sete anos de batalha, o jovem Dagon fora conquistando posições elevadas e realizando feitos incríveis, como a vez que ele derrotou 5 homens que faziam uma emboscada, ou a vez que ele e seu grupo de 20 soldado conquistaram um posto de defesa com 60 soldados inimigos. Dagon era um excelente soldado, e um grande comandante. Agora, no meio daquele campo estava Dagon de um lado e o negociador francês do outro, eles pareciam tentar uma negociação de paz.

_... Já disse, somente se nos der 3 de suas cidades portuários que cessaremos a guerra. Falou Dagon visivelmente irritado.

_ Isso é um Insulto! retrucou o francês com uma cara nada amigável.

_ Verdade. Isso é um insulto. Falou Dagon dando risada e ironizando a situação.

Dagon então virou as costas e começou a cavalgar para direção de seu exército, como era de costume. Porem o francês sacou um pequeno punhal e o arremessou nas costas de Dagon, acertando seu lado direito e perfurando o pulmão. Dagon se entender muito o que estava acontecendo, caiu-se no chão e em meio a queda fraturou duas costelas. O jovem tentava de todas as formas respirar, porem o ar não vinha. Ele começou a se debater, ele tentava ao máximo respirar, porem nada acontecia. Como seu último suspiro de vida, Dagon levantou-se com dificuldade, pegou seu arco e lançou uma flecha que atravessou o crânio do inimigo, depois disso a visão de Dagon ficou turva e ele caiu sem vida.

10 de Fevereiro de 1998 - Caverna, em algum lugar do Hades.

Dagon estava vagando por anos pelo Hades, vagava em busca de alguma coisa, ele não sabia o que, porem algo o dizia para vagar em direção ao norte. Depois de muitos anos vagando sem um rumo, Dagon sentiu uma poderosa "aura" vindo de uma caverna, muito desconfiado ele hesitou em entrar, mas conforme o tempo ia passando a curiosidade iria aumentando. Depois de alguns dias de desconfianças Dagon decidiu que entraria na caverna, ao entrar porem, percebeu que não era uma simples caverna, aquela caverna era um antigo templo. E bem no centro do templo, havia um grande altar e em cima do altar estava uma caixa escuro, uma caixa com vários desenhos e escritos que ele não reconhecia de imediato. Ao chegar mais perto, percebeu que eram escritos antigos, coisas escritas em Latim e em Grego, porem como não utilizava-se de seus conhecimentos nessa área, sem saber ao certo o que fazer o jovem decidiu que levaria aquela caixa até o imperador do submundo. Depois de uma longa e demorada viagem, ele chega até o castelo de Hades com a caixa nas costas.

_ Gostaria de ir até o imperador... falou Dagon em voz baixa.

_ Quem você pensa que é, a ponto de achar que chegará até o senhor, fácil assim? Perguntou um dos Guardas.

Enquanto Dagon tentava os convencer, o Espectro de Garuda, percebeu que nas costas dele havia uma surplice e que provavelmente a mesma havia escolhido o jovem para traja-la.  Assim o Juiz o levou para dentro do castelo a apresentando a Pandora. Ao conversarem muito sobre, decidiram que a armadura ficaria com o jovem, já que a mesma, o havia escolhido para a traja-la, já que em anos a armadura encontrava sumida e ninguém à havia achado.

avatar
Dagon de Morcego
Aspirante

Mensagens : 4
Data de inscrição : 31/03/2015

Dados do Saint
Cosmo:
1000/1000  (1000/1000)
HP:
1000/1000  (1000/1000)
Nível: 1

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FICHA DE ADMISSÃO] Dagon de Morcego

Mensagem por ADM Áster de Câncer em Ter Mar 31, 2015 6:54 pm

Ficha definitivamente aprovada. 
Belo modo de narração e sistema de comunicação.

Irei gerar seus dados, bem vindo ao reino de hades.

_________________
Sua cabeça irá enfeitar minha morada de Câncer!
avatar
ADM Áster de Câncer
Cavaleiro de Ouro

Mensagens : 58
Data de inscrição : 23/03/2015

Dados do Saint
Cosmo:
1250/1250  (1250/1250)
HP:
1250/1250  (1250/1250)
Nível: 8

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum