[FP] Oskar de Cisne

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Oskar de Cisne

Mensagem por Oskar em Qui Mar 26, 2015 9:28 pm







Oskar de Cisne
‘‘Que uma chuva de diamantes caia sobre você e lhe congele para sempre!!’’ 


Personagem

Nome: Oskar Olavo Popovisck
Idade: 15 Anos 
Sexo: Masculino
Signo: Aquário
Veste: Armadura de Bronze de Cisne
Aparência: Oskar é um cavaleiro naturalmente muito belo e jovial. Possui cabelos loiros, lisos e pouco longos, que estão aparentemente sempre bagunçados. Uma pele bastante pálida, que lembra a neve do inverno russo que enfrentara ainda quando criança. Seus olhos são azuis bem claros e combinam com sua pele. Tem uma altura mediana de 1,70 m e pesa cerca de 60 kg. Não costuma usar sua armadura, normalmente, quando no santuário, usa uma camiseta azul, uma calça de cor laranja e uma bota negra. Possui diversas cicatrizes pelo corpo, por conta de seu árduo treinamento e de batalhas que já travara em sua jornada. Não é muito vaidoso, não liga para estar bem arrumado ou algo do tipo. Do jeito que acorda, já sai por aí. É um pouco franzino e possui músculos pouco definidos, o que o ajuda o deixando mais veloz. Quando está com sua armadura, raramente retira seu elmo. Mesmo preferindo batalhar sem usar sua armadura, não deixa de utilizá-la quando está em lutas contra outros guerreiros. Possui um rosto delicado e com traços bastante suaves. Para qualquer lugar que vá, sempre leva sua armadura dentro da urna, utilizando-a somente quando necessário. 
Psicológico: Antes de diversas coisas acontecerem com Oskar, era um menino bastante dócil, carinhoso e gentil. Por conseguinte de acontecimentos trágicos em sua família quando ainda era uma criança, tudo, ou quase tudo, mudou. Aquele garoto já não és mais o mesmo. Agora, Oskar é bastante fechado, visto como todos como um mau humorado. Não gosta de conversar com outros e fazer amigos, mas isso não que dizer que seja uma má pessoa. É completamente devoto à sua deusa Atena, um cavaleiro extremamente confiável, mas também, facilmente influenciável. Dificilmente sente medo de algo ou alguém, sendo assim muito corajoso, até mais do que deveria ser. Procura sempre estar honrando sua armadura e também ser respeitado pelos que vivem à sua volta, mesmo não ligando muito para a opinião destes. Não gosta de andar em bando, está sempre querendo estar sozinho treinando, ou fazendo outras coisas deste tipo. Não gosta de ficar lutando, procura sempre estar quieto e usar o seu poder somente quando necessário. Não se preocupa muito em defender seus companheiros, somente olha para o próprio nariz. Oskar é muito orgulhoso, nunca aceita ser derrotado por ninguém, nem mesmo os mais poderosos guerreiros, estando assim sempre dando o máximo de si em suas lutas. É bastante estratégico e observador, o que o ajuda bastante em suas batalhas. É muito frio, não tem piedade de nenhum de seus inimigos, procurando sem acabar com os seus adversários o mais rápido possível, sem dar o mínimo de chances para os mesmos. É bastante calmo, quase nunca pode ser visto irritado, não se deixando abalar por conta de provocações e etc. Ainda pelos acontecimentos bárbaros que presenciara em sua infância, Oskar se tornara um garoto muito maduro para sua idade. É também um jovem bastante insensível e desconfiado, procura estar sempre ligado em todos à sua volta, para que não seja surpreendido. Oskar é muito ambicioso, deseja ser poderoso e temido pelos seus inimigos, o que não é algo fácil, mas é algo que o guerreiro fará de tudo para conseguir. É razoavelmente inteligente e não gosta muito de cálculos em uma batalha, apenas vai pra cima de seu adversário com tudo o que tem, o que não o ajuda muito em batalhas, mas é algo que o guerreiro ainda deseja evoluir com seus treinamentos. É obediente somente à Atena e ao Grande Mestre do santuário, assim ignorando qualquer outro cavaleiro, até mesmo os dourados. Não é dos mais educados, mas também não desrespeita ninguém, exceto seus inimigos. Pensa bastante antes de falar algo, para que não ocorram mal entendidos, e também para que não acabe ferindo sentimentalmente alguém que não queira, e também por isso é muito silencioso. 
Habilidades e Particularidades: 
História: Em uma belíssima tarde invernal em uma pequena e bela vila russa bastante tradicional, que ficara bastante isolada do resto do resto do mundo por conta do difícil acesso, nascera aquele belíssimo bebê que receberia o nome de Oskar, cujo significado é "combatente divino". Sua mãe, uma mulher bastante pobre, não tinha condições de criá-lo como queria, mas isso não importava naquele momento, tudo o que ela, e seu marido queriam, era aproveitar o filho que haviam tido após tanta dificuldade passada. Aquela belíssima vila, infelizmente era comandada por um pequeno grupo de homens malignos, que roubavam o dinheiro e os pertences das famílias que ali moravam. Por isso, quase todos viviam em miséria. As pessoas nem mesmo tentavam lutar pelos seus direitos, pois tais homens que ditavam as regras ali, andavam sempre muito bem armados. Todos aqueles que tentassem confrontá-los, acabariam mortos, o que já acontecera muitas vezes. A mãe de Oskar, queria muito sair dali para que sua família vivesse em paz, e o nascimento de seu filho, fortaleceu ainda mais tais pensamentos. Não havia como fugir, a vila era muito bem guardada, pelos vigias de Lênin, o comandante do grupo. Controlavam a saída e a entrada de pessoas. Oskar era um bebê muito inteligente, aprendia tudo muito rapidamente, e quando completou um ano e meio de vida, já sabia andar e falar, porém com certa dificuldade, o que é bastante normal. Ao fazer 6 anos de idade, entrou em uma escola, a única que havia ali. A situação da escola era precária, mas isso não os impedia de aprender bem  as coisas. Inicialmente, era um garoto muito alegre e amigável, fazia amizade com todos com muita facilidade. Ao completar seus 8 anos, seu tão adorado pai, morreu por causas naturais, o que deixou Oskar e sua mãe bastante abalados. Quem pagava aquilo denominado pelo grupo de Lênin, era o falecido pai do garoto, mas agora que morreu, sua mãe terá que se virar para pagar aquilo, o que não será nada fácil, pois os trabalhadores não eram bem remunerados. Em um dia como qualquer outro, Oskar acordara às 6:00 horas da manhã, tomava café e ia para sua escola, despedindo-se da sua mãe como sempre. Ao retornar à sua casa, se deparou com a porta aberta, e com medo do que estava acontecendo, largou sua mochila ali mesmo na entrada e entrou correndo. Assustado, entrou no quarto de sua mãe para ver que se mesma estava bem e se deparou com algo terrível. Sua mãe, em prantos, estava sendo abusada sexualmente por 3 homens do grupo de Lênin. Oskar não sabia como agir e então saiu correndo para tentar pedir ajuda. Um dos homens escutou-o, se vestiu e foi correndo buscar o garoto. O jovem não sabia quem chamar, estava completamente perdido e chorando, até que um velho homem o segurou-o com força. 
- Me solte! - Gritava Oskar se debatendo nos braços do homem.
- O que está acontecendo, por que está correndo? - Perguntou. Me diga, não vou lhe fazer mal algum. Eu posso te ajudar. - Disse tentando acalmar o jovem um pouco.
- Os homens de Lênin... Eles estão abusando de minha mãe!! - Falou, ainda com um certo desespero.
- Pode mostrar-me onde é sua casa? Vou ajudá-lo com isso. - Disse com um pequeno sorriso estampado em seu rosto.
- Claro. Siga-me. - Falou Oskar, puxando a mão do velho e levando-o na direção de sua casa. 
Mas, de repente, o homem que estava seguindo Oskar apareceu empunhado uma arma de fogo. Naquele momento, o jovem pensava que era o seu fim, mas o velho homem que acompanhava-o se manifestou. Correu na direção do soldado e com um único golpe no rosto, em uma velocidade incrível, fez-o cair no chão desacordado. Oskar ficou bastante espantado com o que havia acontecido, mas não tinha tempo para perguntar sobre isso, sua mãe ainda estava nas mãos de outros soldados, e se não chegasse a tempo, ela poderia ser morta. Os dois rapidamente adentraram à casa e correndo se dirigiram ao quarto de Walquíria, mãe de Oskar. Um dos homens estava com uma arma apontada para a cabeça da mãe do garoto. 
Fiquem quietinhos aí... - Disse o soldado com um grande sorriso que demonstrava sadismo. Oskar se escondeu atrás do velho, esperando que o mesmo fizesse algo, mas um outro soldado chegou e segurou-o por trás. Tudo agora dependia das ações de um estranho. Oskar se sentia culpado por isso, por ter sido fraco, mesmo sendo uma criança. Não havia muito à fazer naquele momento, mas aquele sábio homem, de repente, imobilizou o soldado que segurava Oskar e correu pra cima do que apontava a arma pra cabeça de Walquíria, mas talvez não tenha sido a melhor alternativa. Ele era veloz, mas isso não foi suficiente. O soldado disparou sua arma, assassinando a mãe de Oskar, que nem acreditava no que havia acontecido. Nem mesmo o estranho, acreditou, mas não havia muito a fazer agora, o mesmo pegou aquele soldado e socou-o até à morte. Os dois agora não podiam ficar ali, seriam caçados pelo grupo de Lênin e então decidiram fugir. O velho, furtivamente, imobilizou dois dos vigias que ficavam de guarda na parte de trás do vilarejo e enfim os dois saíram dali e se abrigaram da grande nevasca que se iniciara, em uma caverna.
- Me desculpe... Sua mãe ter morrido foi culpa minha. - Disse o velho, desculpando-se.
- Está tudo bem... Eu fui fraco, não você. - Falou Oskar, cabisbaixo.  
- Meu nome é Benos, e o seu? - Questionou o homem, citando seu nome.  
- Sou Oskar... - Disse, ainda muito abalado. 
- Se você quiser, eu posso ensiná-lo a ser forte, a ser um verdadeiro homem. Conhece os cavaleiros de Atena? - Perguntou.
- Não. Quem são? - Questiona, interessado.
- São guerreiros que defendem a paz na terra, lutando pela Deusa Atena. Sabe... Eu era um deles, mas digamos que já me aposentei... Eu queria alguém para poder herdar minha armadura, e você é perfeito para isso. Que tal? - Peguntou na tentativa de convencer o jovem, com um grande sorriso no rosto. 
- Eu acho que aceito. - Diz, com certa empolgação.
 Oskar, aquele jovem que antes era alegre e muito amigável, mudou após os acontecimentos trágicos com sua família. Já era um homem muito diferente, fechado, sério e bastante silencioso. Tenta não lembrar daquele dia, mas é quase impossível. Que o ajuda a esquecer, é Benos, o homem que há 6 anos o treina, é agora a sua única família. Mesmo depois de muitos anos, Oskar ainda queria vingança contra Lênin e seus homens, mas isso já não é sua prioridade. Agora, o seu maior desejo, é conseguir a armadura de bronze de cisne e ser um grande e poderoso cavaleiro de Atena, como era seu mestre. Oskar fora para longe de onde morava para treinar, para a Sibéria, para se tornar um guerreiro tão forte quanto Benos. Seu árduo treinamento já estava acabando, já era hora de o guerreiro ir para o Santuário. Mas novamente, algo terrível aconteceu. Seu adorado mestre, teve um infarto e acabou morrendo. Mas Oskar, que jurou não voltar a ser fraco, não teve tempo de lamentar, pegou a armadura de estava sendo guardada por seu mestre e finalmente se dirigiu ao Santuário, abalado pela morte de Benos. Lá, oficialmente, se tornou um cavaleiro e vestiu pela primeira vez sua armadura, com o objetivo de se tornar um grande e poderoso guerreiro.

Kane
Oskar Olavo Popovisck
avatar
Oskar
Admin

Peixes Mensagens : 93
Data de inscrição : 12/05/2013
Idade : 23

Dados do Saint
Cosmo:
1000/1000  (1000/1000)
HP:
1000/1000  (1000/1000)
Nível: 3

Ver perfil do usuário http://ssicr.forumgratis.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Oskar de Cisne

Mensagem por Kenshin Himura em Sab Mar 28, 2015 4:57 pm

Ficha aprovada

De fato encontra-se muito boa.

Bem-vindo.

_________________

Muriel, o cavaleiro de Áries!
avatar
Kenshin Himura
Aspirante

Escorpião Mensagens : 260
Data de inscrição : 05/03/2014
Idade : 17

Dados do Saint
Cosmo:
1250/1250  (1250/1250)
HP:
1250/1250  (1250/1250)
Nível: 8

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum